segunda-feira, 18 de Maio de 2009

Registos de captações de água

Recentemente, o telejornal alertou todos os proprietários de poços, furos, minas, fossas sépticas que deveriam registá-los antes do final deste mês sob pena de pagar uma coima. Felizmente, por falta de difusão desta nova medida e porque a entidade responsável, a Administração da Região
Hidrográfica (ARH), apenas ter sido criada em 2008, adiou o prazo do registo para 31 de Maio de 2010.
Vendo a quantidade de dados e a burocracia a que o proprietário está sujeito, como a entrega de plantas, valores de caudais, etc.., é preferível que sejam tomadas medidas para não extrapolar o prazo!
No caso do Minho a entidade responsável é a ARH Norte, está disponível neste site http://www.arhnorte.pt/ a informação necessária

domingo, 17 de Maio de 2009

Planos de gestão de região hidrográfica

Está a decorrer o período de discussão pública sobre as regiões hidrográficas. Embora esta notícia já se encontra em cima do acontecimento, talvez ainda seja útil para quem queira participar neste acto.
As datas agendadas são as seguintes:

RH Minho/Lima 16 Abril Tui (Espanha)
19 Maio Ponte de Lima (Portugal)

http://www.inag.pt/

sábado, 4 de Abril de 2009

Moinhos abertos




Dia 4 e dia 7, diversos moinhos estarão abertos a visitas e alguns postos a funcionar, em todo o país.


No Minho podem ser visitáveis os seguintes: moinho de São Salvador de Briteiros, em Guimarães (perto da Citânia de Briteiros), o moinho de vento em Aboim, Fafe, moinhos da Montaria, em São Lourenço da Montaria, Viana do Castelo, moinho da maré e azenhas de D. Prior, no Parque da cidade de Viana do Castelo e o moinho de Agotim, em Celorico de Basto.




Em alguns casos, estão previstas actividades extras. (ver link do título)

quinta-feira, 5 de Março de 2009

Viana do Castelo - Meca da Arquitetura

domingo, 15 de Fevereiro de 2009

Por Comboios do Sec. XXI

A região Norte sempre teve uma forte ligação ao transporte ferroviário. De facto, até ao início dos anos 90 as principais cidades da região estavam ligadas entre si, com duas ligações a Espanha e uma ligação a Sul. Porto, Braga, Vila Real, Bragança, Mirandela, Viana do Castelo, Póvoa de Varzim, Famalicão, Guimarães, Fafe, etc., estavam ligadas ao resto do mundo via caminho de ferro.

Vinte anos mais tarde, algumas destas cidades foram riscadas do mapa ferroviário em prol do desenvolvimento económico e do transporte rodoviário. Outras mantém-se, no entanto cada vez mais "distantes" devido ao reduzido investimento na área. A rede ferroviária nortenha, basicamente, está reduzida a quatro linhas e respectivos ramais:

a) Linha do Minho: faz a ligação entre o Porto e Valença (outora a Monção) e tem dois ramais: Braga e Guimarães (amputada entre Guimarães e Fafe e Trofa e Maia). Actualmente na linha do Minho circulam todos os tipos de serviços da CP: Alfa Pendular, Intercidades, Urbano, Internacional, Interregional, Regional. Os três últimos apresentam serviços péssimos, os três primeiros apresentam atrasos constantes.

b) Linha do Douro: Ligação Porto - Pocinho (outrora a Salamanca) e tem três ramais: Tâmega (amputado entre Amarante e Arco de Baúlhe), Corgo (amputado entre Vila Real e Chaves) e Tua (amputado entre Mirandela e Bragança e prestes a desaparecer na sua totalidade). Para além do comboio histórico, circulam nesta linha e ramais os Regionais e Interregionais do Douro e os Urbanos de Caíde.

c-) Linha do Vouga: Ligação Espinho Aveiro. Trata-se de uma linha altamente obsoleta onde existem pontos em que o comboio pára nas passagens de nível. Esta é uma linha que atravessa concelhos como Santa Maria da Feira, São João da Madeira, ou Oliveira de Azeméis, com milhares de habitantes.

d-) Linha do Norte: Porto-Lisboa. É a ligação ao sul onde o serviço mais barato, o Intercidades, tem enormes variações na pontualidade, podendo em dias normais os atrasos rondar uma hora. Mesmo o serviço Alfa Pendular não apresenta uma total fiabilidade, dadas as más condições da linha em vários troços.

A acrescentar a estes problemas, o avultado investimento na ferrovia com a Rede de Alta de Velocidade, que não estando em causa a sua futura mais-valia num contexto nacional e europeu, irá numa primeira fase ocupar troços das actuais linhas, podendo "mutilar" alguns dos serviços actuais e piorar outros ainda mais.

Com este pequeno resumo do estado actual da ferrovia no Norte do país, fica patente a necessidade imperiosa de mais e melhores ligações entre as suas populações, e as vantagens que trariam para toda a economia. Numa época de dificuldade económica e de preocupação ambiental, com o estado de degradação dos serviços ferroviários, torna-se cada vez mais urgente a reunião dos agentes políticos e económicos no sentido de apostar no tranporte público e criar um serviço ferroviário que vá de encontro às reais necessidades de mobilidade do cidadão.

Neste cenário, surgiu em meados de 2008 a Comboios XXI. Trata-se de uma Associação pioneira em Portugal que tem como objectivo a promoção da melhoria do serviço ferroviário. A Comboios XXI surgiu no seguimento do excelente trabalho cívico levado a cabo por um grupo alargado de utentes na Linha Braga-Porto (com muito bons resultados!). Apesar das duas forças se terem centrado nesta Linha no período inicial, esta Associação foi constituída com âmbito nacional.

A Comboios XXI pretende ser uma plataforma aglutinadora de todos os utentes e os defensores da ferrovia. Actualmente além do núcleo de Braga, existe já, o núcleo da linha do Minho (Nine-Valença) e está na calha a criação do núcleo de Guimarães.

Os resultados de inúmeras iniciativas, reuniões e audiências (CP, Refer, Assembleia da Républica, orgãos do poder local, etc..) são prometedores! No entanto, estamos a falar duma associação sem fins lucrativos composta por gente jovem e motivada, mas que precisa de apoio e, fundamentalmente, de mais força para vencer a tremenda inércia dos orgãos envolvidos. A Comboios XXI espera por mais sócios, e anseia pela criação de mais núcleos de forma a criar uma verdadeira massa critica junto das autoridades quem detêm o poder de decisão. Junte-se a esta causa!

sábado, 7 de Fevereiro de 2009

Têxteis inteligentes

A crise já é assunto mais que gasto e precisamos de notícias encorajadoras para a enfrentar e esta parece-me que é uma delas.
A Associação Têxtil e Vestuário de Portugal esteve na Alemanha a mostrar os "têxteis inteligentes", que podem ser coletes que monitorizam o batimento cardíaco, fatos de isolamento térmico, malhas repelentes de água e de mosquitos, fios termor-reguladores e antibacterianos...
No Minho existem várias empresas ligadas a este sector que se diz em profunda crise, bem antes de se falar da recessão económica, talvez esta variante da têxtil seja uma boa aposta! Para que esta aposta seja bem fundamental a Universidade do Minho tem desenvolvido vários estudos nomeadamente sobre novos materiais (vejam os links).
Se é verdade que a industria Indiana e Chinesa produzem a custos menores também é verdade que a nossa têxtil tem uma longa experiência e que consequentemente produz com melhor qualidade. Sei ainda por parte de alguns empresários do sector que os clientes destas empresas voltaram a comprar o "made in Portugal" após ter experimentado o "made in Oriente" porque ficaram decepcionados com a qualidade (ou melhor prejudicados em termos económicos).
Gostaria de deixar ainda uma sugestão para quem viaja, procure as lojas de vestuário e sapatos e vejam as etiquetas!! Muitas têm o "made in Portugal" e nas melhores lojas lá de fora!!!

sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

Em Vila das Aves também neva!








Neve


Neve no concelho de Guimarães

Neve no MInho

http://cache01.stormap.sapo.pt/fotostore01/fotos//cf/27/38/2647531_zonzq.jpeg

No Concelho de Vizela neva (10h:15m)! Desde 1983 (noite de Carnaval) que não viamos tal "atentado" da Natureza à normalidade climática com tanta vontade, e o manto branco cresce cada vez mais. Lindo!

http://cache01.stormap.sapo.pt/fotostore02/fotos//69/60/86/2647625_TDU5D.jpeg

terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

5 Projectos para Guimarães

Os 5 projectos apresentados pela Câmara Municipal em Setembro de 2007, a saber : o Parque de Lazer da cidade desportiva, os Arranjos Urbanísticos Toural - Alameda de S. Dâmaso – Rua de Sto António, Feira Semanal, Campurbis e o Antigo mercado foram temas de vários debates abertos ao público durante alguns meses durante os quais várias foram as opiniões expressas. Um dos temas mais polémico, foi sem duvido o arranjo do Toural devido à intervenção profunda na praça tão emblemática para a cidade histórica. Relembro que se propunha a pedonalização do Toural, a construção de um parque de estacionamento e de passagens rodoviárias subterrâneas, o arranque das árvores da praça e a substituição da calçada à Portuguesa por um lajeado em granito moderno. Recentemente, foi publicado a notícia de que o Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico - IGESPAR, deu parecer desfavorável ao projecto pelo facto deste, alterar em demasia um espaço classificado pela UNESCO. Este organismo também não aprovou o parque de estacionamento previsto para o lugar da antiga feira, espaço no qual se previa ainda a construção da casa da memória.
O projecto da Veiga de Creixomil (cidade desportiva) foi reprovado pelo Ministério do Ambiente.

Deste modo, estes 5 projectos apresentados para a promoção da cidade durante a Capital Europeia da Cultura em 2012 ficam comprometidos embora o Presidente da Câmara tenha dito que ainda não abandonou totalmente a ideia. Esperemos então que as novas propostas sejam mais conservadoras e menos dispendiosas, 2 parques de estacionamento próximos do centro, onde já existem 5 (nas Hortas, no Tribunal, no São Francisco, no Triangulo e no estádio) não parecem rentáveis fora de um evento com grande afluência de público. Para além disso, ninguém pensou que um instituto como o IGESPAR não iria vetar um projecto que alterasse as características de um espaço classificado? Parece-me bastante óbvio! Assim, leva-me a crer que a consulta ao público durante os debates criados na altura apenas foram para promover os projectos e não com a intenção de recolher ideias! Outra questão é, porque nessa mesma altura foi extinto o gabinete de apoio técnico local – GTL, a funcionar desde 1985 "ao comando" da Arquitecta Alexandra Gesta, cuja tarefa era promover o património do concelho e preservar a classificação e nenhuma das propostas foi elaborada, proposta ou defendida por este gabinete.

quarta-feira, 31 de Dezembro de 2008

Feliz 2009

quarta-feira, 24 de Dezembro de 2008

BOAS FESTAS

BOM NATAL A TODOS.
ESPEREMOS QUE O PAI NATAL NOS TRAGA MUITA COISA BOA!

sexta-feira, 28 de Novembro de 2008

Aeroporto do Norte

Tendo em vista o desenvolvimento da região de abrangência e consequentemente a redução das dificuldades económicas, o aeroporto Francisco Sá Carneiro é um factor importante e deve ser gerido autonomamente segundo a opinião de 103 membros que se encontraram em Guimarães anteontem. Em seguimento a este encontro, ficou agendada para Janeiro uma reunião extraordinária do Conselho Regional, com o intuito de remeter ao primeiro-ministro uma posição conjunta sobre a gestão do aeroporto. Dos defensores desta posição relativamente a esta infra-estrutura constam-se os representantes das autarquias do Norte, empresários, Junta Metropolitana do Porto, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDRN), associação patronais e sindicais e universidades.

Certo é, que o aeroporto serve toda a população representada na reunião, certo é também, que os indicadores económicos nessa mesma região são dos piores do país. A taxa de desemprego do norte não pára de aumentar à medida que se encerram as fábricas e que a crise se agrava.

Sabemos todos, pelo menos quem está atento às notícias, que este aeroporto tem tido um bom desempenho ao longo destes últimos anos. O número de voos aumentou consideravelmente, em parte devido às companhias de voos low-costs que se instalaram. Esta oferta é também responsável pelo aumento de passageiros estrangeiros, sejam estes turistas ou mesmo empresários, ou seja, é realmente um ponto fulcral na economia da região!

Em breve serão construídas as linhas de TGV, uma das quais fará a ligação do Porto a Lisboa, e outra de Lisboa a Madrid. Nesse momento, fará sentido ter tantos aeroportos no país? Estarão eles bem posicionados? O preço da viagem em TGV não será de valor mais atractivo do que a do avião? Ou pelo contrário haverá mais utilizadores do Sul a virem ao Porto apanhar um voo? Todas estas questões são importantes para a gestão coordenada entre as infra-estruturas para que estas sejam rentáveis. O ideal seria não haver repetição de voos ou horários para abrir o leque de possibilidades aos viajantes entre os dois aeroportos principais do país e promover ligações via TGV entre os dois equipamentos. Por isso a preocupação dos defensores da gestão autonóma no tipo de gestão faz sentido mas será esta a melhor forma?

terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Machadada nas touradas do Minho

Viana do Castelo, era, até hoje, a unica localidade do Minho com uma praça de touros (penso eu). Felizmente, a autarquia vianense adquiriu o edificio impedindo assim a realização de touradas na cidade.

As boas noticias não ficam por aqui uma vez que a intenção da autarquia é transformar aquele espaço num museu ligado à ciencia.

A tauromaquia e as brutalidades adjacentes saem a perder para a ciencia e assim sendo é caso para dizer que ainda bem que a tradição já não é o que era.

segunda-feira, 13 de Outubro de 2008

Comunidades intermunicipais e provincianismos (ii)

Parece que o referendo em Viana do Castelo vai mesmo avançar. Deve ou não o concelho juntar-se aos outros nove que constituem o distrito do Alto Minho na futura comunidade intermunicipal?

No fundo, compreendo os argumentos utilizados pelo presidente da CM de Viana do Castelo, não é justo que cada municipio tenha apenas um voto, mas na hora de pagar contribuições já paga mediante a população.

Não compreendo é certas declarações de Defensor Moura: "Não quero ser presidente da CM de Melgaço" ou "A plataforma logistica de Valença é fruto de jogos de interesse [da futura comun intermunicipal], então se é para apoiar o Porto de Vigo devia estar em Espanha, se é para apoiar o porto de Viana devia estar em Viana"...

Sinceramente não compreendo como um autarca pode mostrar tanta ignorancia.

A plat log de valença serve para fazer concorrencia à plataforma do Porto de Vigo e foi sugerida por Antonio Freitas, antigo presidente da CP Carga. Esta infra estrutura faz parte do plano do MOPTC "Portugal Logistico" e não de decisões de autarcas da região...