terça-feira, 10 de julho de 2007

Circular urbana de Guimarães

Como devem ter notado, está em curso a empreitada para o alargamento da circular urbana de Guimarães. Quem nunca teve dificuldades em circular nessa via com certeza nunca por lá passou em horas de ponta. Será que estas obras irão melhorar a fluidez do tráfego?
E será ainda que os responsáveis “pela mudança” irão resolver os pontos de conflitos que de seguida vos apresento?




Ora vejamos, junto do shopping, vindo da EN 101 (de Braga por exemplo) dirigindo-se ao hospital, o automobilista cruza-se com os veículos que entram nesse nó para se dirigirem à EN 105 (direcção ao Porto). O cruzamento entre veículos que saem e os que entram, já provocou diversos incidentes e poderá provocar acidentes. No mesmo local, mas a uma cota inferior, encontra-se a mesma dificuldade, mas neste caso entre os veículos que vindos da EN 101 saem para a EN 206 (direcção Famalicão) com os veículos que se dirigem para Fafe.

Na A7 (Guimarães-Famalicão) existia um problema semelhante que hoje se encontra resolvido. Esta dificuldade era sentida por quem quisesse sair da A7 e entrar na A3, cruzava-se com os veículos que entravam na A3 em direcção a Famalicão. A solução do problema consistiu em aumentar a distância entre os locais de entrada e saída e ordenar o trânsito de forma que primeiro saem os veículos em direcção à A3 e só depois entram os automobilistas que se dirigem a Famalicão. Esta solução reduziu ou mesmo anulou a hipótese de ocorrem acidentes, será que a circular de Guimarães não tem capacidade para tais obras?

3 comentários:

.:mÁrCiO:. disse...

É verdade... vou pelo menos uma vez por semana para Guimarães (4ª), e é um caos... o que vale é que vou de autocarro (e vou pela via do lado direito e não apanho por norma o transito infernal que é por volta das 9:15...

Acho que é um pequeno esforço dos automobilistas, população vimaranense e arredores em geral que tem ter. Pois quando isto acabar, será uma obra de excelente qualidade para a cidade…

Ergolas disse...

Guimarães tem um claro problema de fluidez de trânsito. E esse problema não tem solução à vista. Para o resolver impõe-se a total revisão da via pública da cidade e dos seus arredores. Mas é um problema caótico.

Em questões de trânsito, Braga ganha a Guimarães. Mas envolver a cidade num manto de alcatrão não me parece também ser a solução.

Entretanto, vão-se construindo parques de estacionamento à volta do centro da cidade, que até agora não dão mostras de serem bem sucedidos...

João disse...

Há sempre uma solução. E que tal andar menos de carro dentro da cidade! Assim, contribuía-se para a melhoria do ambiente, muita em voga hoje em dia. Sou pela criação de uma ciclovia no centro histórico, onde os cidadãos e turistas pudessem desfrutar do nosso património. Proibia o trânsito de veículos dentro das muralhas da cidade, excepto para cargas e descargas. Isso sim seria uma óptima ideia. Criar uma ligação ferroviária a Braga é também imprescindível para o futuro da região. Fala-se muito, mas não se vêem resultados. Espero que o os euros para capital europeia da cultura sirvam para infra-estruturas úteis.